Pesquisar

sábado, 12 de novembro de 2016

Não deixe o bebê chorar!!!

Esse é um post que vai muito da criação de cada mãe,  como já falei aqui várias vezes a maternidade é única, cada mãe vivencia a sua maneira, não é a minha ou a sua que estão certas ou erradas, nos sempre daremos o melhor para nossos filhos.
Mas esse assunto me chamou atenção nos últimos dias.
Por ouvir algumas pessoas dizendo: Deixa seu bebê chorar, ele vai cansar e vai parar.
Meu Deus!!! Que absurdo isso.
Primeiro que nós  mães faremos o que acreditarmos ser o melhor para o nosso bebe e segundo lugar, se fosse para deixar ele chorando eu nem teria tido um bebe.
Quando agente esta grávida já sabe que o bebê vira sem manual e a única forma de comunicação dele com agente é através do choro primeiramente.
O duro é quando essas pessoas que falam isso são mães e aplicam esse método com seus filhos.
Não vou criticar aqui,  mas li matérias na internet dizendo que  o bebê quando chora e não é atendido pelos pais ele se sente rejeitado, ele ainda é muito pequenino e imaturo para aprender a ser mais independente e simplesmente parar de chorar.
Mas quando ele chora e recebe os carinhos e cuidados dos pais ele se sente confortável, seguro.
Ele crescerá um indivíduo capaz, porque ele sabe que se as coisas apertarem e ficarem difíceis ele vai correr para os braços da sua familia, para o colo e acalento da mamãe.
Eu, por exemplo, não consigo de jeito nenhum ver meus filhos chorando , me corta o coração, fico incomodada e não me acalmou até acalmar eles primeiro.
É claro que sou um ser humano normal como vocês, e as vezes temos que repreender o filho mais velho ou então estou no banho e o bebê começa a chorar, porém são situações da rotina do dia a dia e não vou deixa-Los ali chorando , estou conversando com eles,  eles ouvem a Minha voz até o momento em que eu possa pegar no colo.
Então, minha ideia aqui é mostrar que estudos comprovaram que o bebê não se tornará mais dependente de você ou não se você não deixar ele chorar, e ao contrário der seu colo sempre que necessário confortando ele.
Pesquise, se informe e acima de tudo faça o que seu coração mandar.
Até a próxima...

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Introdução alimentar !!!

Em minha segunda gestação eu estava decidida a amamentar, então me preparei muito bem pra viver esse momento, você pode acompanhar esse assunto no post sobre amamentação.
Graças a Deus e para minha alegria chegamos ao marco de 6 meses de amamentação exclusiva. Só leite materno, nada de água, chás e nem sucos, o leite da mãe é o suficiente para matar a sede e fome do seu bebê.
Pois bem... após os 6 meses o bebê deve começar a comer frutas e papinhas salgadas.
A pediatra do meu filho me orientou a começar pelas frutas por uns 15 dias e depois inserir as papinhas salgadas.
Na gestação eu tinha muita curiosidade sobre o método BLW, pesquisei muito sobre isso, tirei dúvidas com a pediatra, mas sinceramente meu bebe está com 6 meses e 6 dentinhos, então ele morde pedaços grandes dos alimentos e acabei ficando insegura em aplicar esse método que consiste no bebe se alimentar sozinho, ou seja, você oferece para ele pedaços grandes de alimentos, cozidos "al  dent" no caso de legumes e ele pega com a mãozinha e se alimenta, assim ele tem contato com a textura, cheiro, cor, e sabor, e decide quanto colocar na boca, qual alimento é o seu preferido e qual não gosta.
Super apoio quem aderiu a este método e se você mamãe que está lendo está interessada pesquise mais sobre o assunto e se prepare para administrar esse método com seu bebê.
Porém aqui estou relatando minhas experiências como mãe, eu ficava tensa cada vez que  dava um pedaço de alimento na mao do meu filho e acredito que essa tensão não fará bem nem a mim e nem a ele.
Começamos pelas frutas, a banana amassadinha, mamão também amassado, maçã e pêra raspadinha e suco de laranja Lima.
Meu filho aceitou bem quase todas as frutas, exceto a banana que até agora rle faz careta e cospe todas as colheradas.
O suco de laranja Lima sem açúcar e sem coar , porque ele esta tomando naqueles copinhos de transição, onde os furos são maiores do que a mamadeira.
O melão não estava na lista autorizada pela pediatra mas o bebe viu o irmão comendo e não resisti em dar a ele para experimentar deu um pedaço na casca mesmo , ele fez a maior sujeira mas adorou a fruta.
Após 15 dias começamos  com as papinhas salgadas.
Eu optei por papinhas pela insegurança  Minha ao método BLW  porém eu não queria oferecer ao meu filho uma papinha com tudo misturado, formando aquela "gororoba " de cor homogênea r sem gostos definidos.
Então faço assim... cozinho frango ou carne na panela de pressão, depois retire o pedaço de carne que vou ocupar em outra refeição e acrescento os legumes para cozinhar naquele caldinho, após amolecer eu retiro do caldo e amasso separadamente e ofereco ao meu filho.
Assim acredito que tem a proteína da carne no caldinho e os legumes ficam com seus sabores individuais onde ele pode observar diferentes gostos, cheiros e cores,  no momento ainda não da pra saber a textura porque estou oferecendo na colher, mas a medida que  ele crescer vou ver se fico mais segura em oferecer na mãozinha dele ou se ele se adaptou as papinhas.
Não podemos esquecer que  cada bebe tem sua particularidade e  cada mamãe faz o melhor para seu filho.
Volto aqui daqui um tempinho para fazer outro post sobre como está a alimentação por aqui.
E continua a livre demanda do leite materno, ou seja, chorou é peito, e nos intervalos sempre leitinho da mamãe.



Até a próxima...

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Não cubra o carrinho do bebê!!!

Muitas mamães, inclusive eu, não sabiam dessa informação então vale a pena compartilhar com o maior número de pessoas.
O carrinho de bebê  é um item muito útil e indispensável, podemos utiliza-lo de várias formas e a normal delas é passear com nossos filhos.
Quando saímos para passear em dias  que o céu esta aberto e o sol brilhando la fora nossa intenção é proteger o bebê do sol bater diretamente nele então queremos colocar um paninho para fazer uma "sombra".
O que pode parecer inofensivo e cheio de boas intenções na verdade está deixando seu bebê em perigo.
Já foi comprovado que um bebe exposto ao sol no carrinho de passeio a temperatura que ele sente se assemelha a nossa, o mesmo calor que estamos sentindo, mas o bebe que foi exposto ao sol coberto com uma fraldinha, ali dentro a temperatura chegou a mais de 40 graus.
Ou seja, o bebe pode chegar a uma morte súbita por falta de ar, desidratação é super aquecimento corporal.
Então o melhor a fazer é sair com o bebe em horários em que o sol seja menos perigoso, antes das 10 da manhã e após as 16 hrs. Colocar roupas leves no seu filho, se ele já tem idade e pode passar protetor solar melhor ainda, e é uma ótima opção colocar um guarda chuva ou guarda sol acoplado ao carrinho assim ele fará sombra numa distancia segura para não provocar aquecimento.
Aqui fica minha dica pra vocês, aprendi isso essa semana e corri aqui para compartilhar pois nosso blog tem histórias e mhora informação.



Até a próxima :-)

sábado, 22 de outubro de 2016

Chupeta dar ou não?

Essa é uma questão bem complexa mas eu tenho a opinião de que cada pai e mãe sabe o que é melhor para o seu filho, então não vamos discutir aqui se está certo ou não oferecer chupeta ao filho, mas sim vou relatar minha experiência para que possamos trocar informações.
Eu ofereci chupeta aos meus dois filhos mais nenhum deles pegou.
Eu comprei chupetas durante o enxoval, inclusive comprei aqueles prendedores de chupeta e naninhas que tem espaço para colocar a chupeta, ou seja, eu estava decida a oferece-la aos meus filhos.
Minhas razões são:  acho que chupetas acalmam os bebês durante períodos de cólicas, alguns bebês adormecem mais rápido utilizando a chupeta, acalma na ansiedade de separação,  é ótimo para distrair o bebê quando se Está fora de casa e acredito que também dê uma ajudinha quando os dentes começam a nascer.
Então eu tinha razões de sobra para oferecer chupeta aos meus filhos.
Com o primeiro filho ofereci assim que cheguei em casa pois a maternidade não me autorizou a oferecer lá, ele recusou, sempre que colova na boquinha dele ele soltava ou cuspia, fui insistindo e nada dele pegar, até começar a sentir ânsia cada vez que eu colocava na boca dele, então com uns 15 dias de vida eu desisti da chupeta, joguei fora e nunca mais ofereci a ele.
Agora no segundo filho fiz a mesma coisa, ofereci apenas quando chegamos em casa após a alta da maternidade, ele também não pegava, mas dessa vez eu fui pesquisando na internet e comprei vários modelos que as pessoas me indicaram dizendo serem ótimos, dos mais baratos aos mais caros, inclusive tem uma chupeta da marca MAM que ele até ficava com ela alguns segundos na boca e depois cuspia.
Ele também sentou ânsia com alguns modelos de chupeta e outros ele apenas cuspia, mas se eu ficasse insistindo ele chorava.
Fui diminuindo Minha insistência aos poucos, oferecendo mais nas cólicas ou pra dormir e mesmo assim nada.
Hoje ele já está  com 6 meses, ainda tenho algumas guardadas mas agora já acredito que  está decidido que ele não irá pegar chupeta.
Por um lado é bom porque não vou ter todo aquele processo de tirar a chupeta quando eles crescem mais posso dizer que passei poucas e boas para acalma-Los sem a bendita chupeta.



Mas cada mãe e cada filho com seu jeitinho todo especial de ser...
Até a próxima: -)

Mala maternidade

Quando eu estava com 8 meses de gestação fomos conhecer a maternidade onde ganharia nosso bebe, hospital e maternidade Santa Joana no bairro Paraíso em SP capital.
Lá eles me entregaram uma lista onde estava descrito as coisas que eu deveria levar na mala do bebê e na mala da mamãe.
Estava descrito que para o bebe eu deveria levar 6 trocas de roupas completas e um chale ou cobertor dependendo da estação, itens de higiene não eram necessários pois a maternidade disponibilizava.
Para a mamãe deveria levar 3 camisolas ou pijamas e os itens de higiene pessoal.
Pois bem... segui a risca o que a maternidade havia solicitado, e é claro que exagerei um pouquinho.
Levei para o Meu bebe 6 trocas de roupas completas, ou seja, macacão,  body,  calca, meia , Luva e gorrinho.
Como estava calor mas já estávamos no outono optei por levar uma manta de lã e um xale de malha.
Levei uma toalha de banho e alguns produtos para ele mesmo a maternidade dizendo que não seria necessário.
Coloquei na mala fraldas de pano, a roupinha de saída maternidade,  o quadrinho da porta, lembrancinhas e a almofada de amamentação.
Para mim eu levei 3 trocas de roupa Para dormir é super confortáveis, toalha de banho, itens de higiene como sabonete, shampoo, escova e pasta de dente, escova de cabelo, etc... mesmo que a maternidade disponibilize é sempre bom estar com as suas coisinhas e seus cheirinhos por perto né.
Usei absorventes noturnos,  não vi a necessidade de comprar aqueles para pós parto.
Sutiã de amamentação, calcinhas de malha mais altas e confortáveis, não usei conta pós parto  ( falo sobre isso melhor no post sobre o meu pós parto).
E por último chinelos,  um de pano para o quarto e um de borracha.
É claro que não usei tudo o que levei mas achei importante levar tudo o que me deixasse segura, porque se precisasse estaria a mão .
Uma dica importante que não usei na primeira gestação mas usei na segunda e foi super útil foi separar as roupinhas do bebê em saquinhos próprios para isso e coloque etiquetas com o nome do bebê e o número da troca de roupa, assim facilitou ao papai e as enfermeiras na hora de trocarem o bebe.



Espero que este post seja útil a você que está nesse momento de ansiedade e preparação para conhecer seu grande amor.
Até a próxima: -)

Bolsa do bebê...

Bom... eu escolhi uma malinha maior para levar as coisas da maternidade porém escolhi uma bolsa mais prática e compacta para carregar no meu dia a dia.
Aqui vou dividir com vocês os principais itens, na Minha opinião.
Sempre levo fralda, a quantidade vai depender da quantidade de horas que ficaremos fora de casa, lenços umedecidos e pomada pra assadura.
Como essa bolsa também é da mamãe eu levo minhas coisinhas junto, como carteira, documentos, etc...
Levo também uma fralda grande e algumas fraldinhas de boca, troca de roupa sempre, também vai depender da quantidade de horas que passaremos fora e do clima que está  fazendo.
Alguns estados aqui no Brasil faz todas as estações no mesmo dia... então o ideal é levar pelo menos duas trocas uma mais fresquinha   e uma mais quentinha.
Babador, água, frutinhas vai depender da idade do seu bebe, hoje o meu está com 6 meses de idade.
Levo um cueiro se precisar forrar algum lugar para colocar ele ou proteger de um brisa leve, para ventos mais fortes o ideal é o cobertor ou manta.
Um guarda chuva portátil sempre, pois este tempo está imprevisível, e os brinquedos e mordedores.
Espero ter ajudado... até a próxima :-)

sábado, 15 de outubro de 2016

Pós parto...

Coisas que ninguém te conta sobre ter um bebê...
Não tenho a experiência do parto normal pois passei por duas cesáreas,  Mas pelo que ouvi as mamães dizem que após o parto estão exaustas, se sentindo fracas,  com dores por todo o corpo, inclusive na região íntima, mas que a recuperação é mais rápida.
Bom vou falar aqui das minhas experiências.
Cesárea é uma cirurgia de grande porte onde envolve a saúde física da mamãe e do bebê,  tive duas cesáreas necessárias e devidamente indicadas pelos médicos para salvar a vida dos meus filhos, mas não sou contra a cesárea sou a favor dela pois hoje em dia são poupadas vidas através desse procedimento.
Bom... no primeiro parto eu não sabia o que estava me esperando, era tudo novidade, a anestesia não doeu nada, o procedimento foi super tranquilo, após lei a hora de cirurgia fui Para a sala  de pós operatório onde vc aguardo até voltar completamente da anestesia e te levam para o quarto.
Dessa vez tive meu primeiro filho as 9:39 da manhã e só me deixaram levantar e sair da cama, tomar banho, no dia seguinte as 7 horas da manhã, fiquei assustada... mas enfim...
Retirar a sonda não é nada agradável, a retirada do curativo e dar de cara com aquele corte enorme também não é nada bom.
Levantar pela primeira vez após o parto é complicado, pernas trêmulas, senti fraqueza,  enjoo, quase não consegui tomar banho direito e as enfermeiras me ajudaram.
Só de estar cheirosa novamente e com um pijama confortável eu já me sentia uma nova mulher.
Todas essas sensações foram passando aos poucos.
Amamentar é complicado apoiando o bebê na barriga onde tem a incisão da cesárea o ideal é uma ótima almofada de amamentação.
Essa cesárea foi com pontos, então após 9 dias do parto fui ao consultório do meu médico para rerira-Los, esses primeiros dias foram complicados, sentia muito desconforto pra fazer tudo, mas depois que os pontos foram retirados tudo melhorou.
O incrível é que qualquer pessoa principalmente os homens; se passarem por uma cirurgia vão ficar deitados em uma cama recuperando, levantando somente pra ir ao banheiro, mas as mamães não,  além da dolorida recuperação vem Para casa com um lindo pacotinho nos braços totalmente dependente de seus cuidados.
No segundo parto a diferença foi que a anestesia doeu de mais, o corte foi colado então não fui retirar os pontos,  só retornei ao consultório com 20 dias Par a o médico verificar se estava tudo certinho.
Eu já sabia tudo que me esperava então levantei pela primeira vez com mais calma e mais confiante, os primeiros dias em casa foram mais tranquilos porém acho que dessa vez os pontos demoraram mais pra cicatrizar e a cicatriz não esta tão discreta como da primeira vez.
O pós parto também envolve hormônios e sentimentos, a mulher está carente, se sente fragilizada,  uma alegria imensa em ter seus filhos nos braços mas ao mesmo tempo aquela vontade de chorar, aquela insegurança de Saber se você irá dar conta de tudo o que vem pela frente, uma coragem de leoa pra cuidar do seu bebê mas ao mesmo tempo o corpo cansado do trabalho de parto ou da cirurgia  que passou.
Se você que está lendo essa postagem é mamãe ou está grávida saiba que não está sozinha , todas passamos por isso e posso te afirmar que vai passar, tudo passa e novas fases virão.
Mas se você é alguém da família dessa gravidinha ou nova mamãe, apoie ela em todos os momentos, menos críticas,  menos conselhos e sugestões, nesse momento não é a hora certa, agora  é o momento de abraçar e acolher .
Sou eternamente grata a Deus por ter gerado minhas duas riquezas e a minha mãe por ter cuidado de mim no pós parto, enquanto as visitas só tinham olhos para o bebê, minha mãe estava ali pra cuidar de mim, e hoje sinto na pele o amor que ela tem por mim.

Até a próxima...