Pesquisar

sábado, 12 de novembro de 2016

Não deixe o bebê chorar!!!

Esse é um post que vai muito da criação de cada mãe,  como já falei aqui várias vezes a maternidade é única, cada mãe vivencia a sua maneira, não é a minha ou a sua que estão certas ou erradas, nos sempre daremos o melhor para nossos filhos.
Mas esse assunto me chamou atenção nos últimos dias.
Por ouvir algumas pessoas dizendo: Deixa seu bebê chorar, ele vai cansar e vai parar.
Meu Deus!!! Que absurdo isso.
Primeiro que nós  mães faremos o que acreditarmos ser o melhor para o nosso bebe e segundo lugar, se fosse para deixar ele chorando eu nem teria tido um bebe.
Quando agente esta grávida já sabe que o bebê vira sem manual e a única forma de comunicação dele com agente é através do choro primeiramente.
O duro é quando essas pessoas que falam isso são mães e aplicam esse método com seus filhos.
Não vou criticar aqui,  mas li matérias na internet dizendo que  o bebê quando chora e não é atendido pelos pais ele se sente rejeitado, ele ainda é muito pequenino e imaturo para aprender a ser mais independente e simplesmente parar de chorar.
Mas quando ele chora e recebe os carinhos e cuidados dos pais ele se sente confortável, seguro.
Ele crescerá um indivíduo capaz, porque ele sabe que se as coisas apertarem e ficarem difíceis ele vai correr para os braços da sua familia, para o colo e acalento da mamãe.
Eu, por exemplo, não consigo de jeito nenhum ver meus filhos chorando , me corta o coração, fico incomodada e não me acalmou até acalmar eles primeiro.
É claro que sou um ser humano normal como vocês, e as vezes temos que repreender o filho mais velho ou então estou no banho e o bebê começa a chorar, porém são situações da rotina do dia a dia e não vou deixa-Los ali chorando , estou conversando com eles,  eles ouvem a Minha voz até o momento em que eu possa pegar no colo.
Então, minha ideia aqui é mostrar que estudos comprovaram que o bebê não se tornará mais dependente de você ou não se você não deixar ele chorar, e ao contrário der seu colo sempre que necessário confortando ele.
Pesquise, se informe e acima de tudo faça o que seu coração mandar.
Até a próxima...

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Introdução alimentar !!!

Em minha segunda gestação eu estava decidida a amamentar, então me preparei muito bem pra viver esse momento, você pode acompanhar esse assunto no post sobre amamentação.
Graças a Deus e para minha alegria chegamos ao marco de 6 meses de amamentação exclusiva. Só leite materno, nada de água, chás e nem sucos, o leite da mãe é o suficiente para matar a sede e fome do seu bebê.
Pois bem... após os 6 meses o bebê deve começar a comer frutas e papinhas salgadas.
A pediatra do meu filho me orientou a começar pelas frutas por uns 15 dias e depois inserir as papinhas salgadas.
Na gestação eu tinha muita curiosidade sobre o método BLW, pesquisei muito sobre isso, tirei dúvidas com a pediatra, mas sinceramente meu bebe está com 6 meses e 6 dentinhos, então ele morde pedaços grandes dos alimentos e acabei ficando insegura em aplicar esse método que consiste no bebe se alimentar sozinho, ou seja, você oferece para ele pedaços grandes de alimentos, cozidos "al  dent" no caso de legumes e ele pega com a mãozinha e se alimenta, assim ele tem contato com a textura, cheiro, cor, e sabor, e decide quanto colocar na boca, qual alimento é o seu preferido e qual não gosta.
Super apoio quem aderiu a este método e se você mamãe que está lendo está interessada pesquise mais sobre o assunto e se prepare para administrar esse método com seu bebê.
Porém aqui estou relatando minhas experiências como mãe, eu ficava tensa cada vez que  dava um pedaço de alimento na mao do meu filho e acredito que essa tensão não fará bem nem a mim e nem a ele.
Começamos pelas frutas, a banana amassadinha, mamão também amassado, maçã e pêra raspadinha e suco de laranja Lima.
Meu filho aceitou bem quase todas as frutas, exceto a banana que até agora rle faz careta e cospe todas as colheradas.
O suco de laranja Lima sem açúcar e sem coar , porque ele esta tomando naqueles copinhos de transição, onde os furos são maiores do que a mamadeira.
O melão não estava na lista autorizada pela pediatra mas o bebe viu o irmão comendo e não resisti em dar a ele para experimentar deu um pedaço na casca mesmo , ele fez a maior sujeira mas adorou a fruta.
Após 15 dias começamos  com as papinhas salgadas.
Eu optei por papinhas pela insegurança  Minha ao método BLW  porém eu não queria oferecer ao meu filho uma papinha com tudo misturado, formando aquela "gororoba " de cor homogênea r sem gostos definidos.
Então faço assim... cozinho frango ou carne na panela de pressão, depois retire o pedaço de carne que vou ocupar em outra refeição e acrescento os legumes para cozinhar naquele caldinho, após amolecer eu retiro do caldo e amasso separadamente e ofereco ao meu filho.
Assim acredito que tem a proteína da carne no caldinho e os legumes ficam com seus sabores individuais onde ele pode observar diferentes gostos, cheiros e cores,  no momento ainda não da pra saber a textura porque estou oferecendo na colher, mas a medida que  ele crescer vou ver se fico mais segura em oferecer na mãozinha dele ou se ele se adaptou as papinhas.
Não podemos esquecer que  cada bebe tem sua particularidade e  cada mamãe faz o melhor para seu filho.
Volto aqui daqui um tempinho para fazer outro post sobre como está a alimentação por aqui.
E continua a livre demanda do leite materno, ou seja, chorou é peito, e nos intervalos sempre leitinho da mamãe.



Até a próxima...

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Não cubra o carrinho do bebê!!!

Muitas mamães, inclusive eu, não sabiam dessa informação então vale a pena compartilhar com o maior número de pessoas.
O carrinho de bebê  é um item muito útil e indispensável, podemos utiliza-lo de várias formas e a normal delas é passear com nossos filhos.
Quando saímos para passear em dias  que o céu esta aberto e o sol brilhando la fora nossa intenção é proteger o bebê do sol bater diretamente nele então queremos colocar um paninho para fazer uma "sombra".
O que pode parecer inofensivo e cheio de boas intenções na verdade está deixando seu bebê em perigo.
Já foi comprovado que um bebe exposto ao sol no carrinho de passeio a temperatura que ele sente se assemelha a nossa, o mesmo calor que estamos sentindo, mas o bebe que foi exposto ao sol coberto com uma fraldinha, ali dentro a temperatura chegou a mais de 40 graus.
Ou seja, o bebe pode chegar a uma morte súbita por falta de ar, desidratação é super aquecimento corporal.
Então o melhor a fazer é sair com o bebe em horários em que o sol seja menos perigoso, antes das 10 da manhã e após as 16 hrs. Colocar roupas leves no seu filho, se ele já tem idade e pode passar protetor solar melhor ainda, e é uma ótima opção colocar um guarda chuva ou guarda sol acoplado ao carrinho assim ele fará sombra numa distancia segura para não provocar aquecimento.
Aqui fica minha dica pra vocês, aprendi isso essa semana e corri aqui para compartilhar pois nosso blog tem histórias e mhora informação.



Até a próxima :-)

sábado, 22 de outubro de 2016

Chupeta dar ou não?

Essa é uma questão bem complexa mas eu tenho a opinião de que cada pai e mãe sabe o que é melhor para o seu filho, então não vamos discutir aqui se está certo ou não oferecer chupeta ao filho, mas sim vou relatar minha experiência para que possamos trocar informações.
Eu ofereci chupeta aos meus dois filhos mais nenhum deles pegou.
Eu comprei chupetas durante o enxoval, inclusive comprei aqueles prendedores de chupeta e naninhas que tem espaço para colocar a chupeta, ou seja, eu estava decida a oferece-la aos meus filhos.
Minhas razões são:  acho que chupetas acalmam os bebês durante períodos de cólicas, alguns bebês adormecem mais rápido utilizando a chupeta, acalma na ansiedade de separação,  é ótimo para distrair o bebê quando se Está fora de casa e acredito que também dê uma ajudinha quando os dentes começam a nascer.
Então eu tinha razões de sobra para oferecer chupeta aos meus filhos.
Com o primeiro filho ofereci assim que cheguei em casa pois a maternidade não me autorizou a oferecer lá, ele recusou, sempre que colova na boquinha dele ele soltava ou cuspia, fui insistindo e nada dele pegar, até começar a sentir ânsia cada vez que eu colocava na boca dele, então com uns 15 dias de vida eu desisti da chupeta, joguei fora e nunca mais ofereci a ele.
Agora no segundo filho fiz a mesma coisa, ofereci apenas quando chegamos em casa após a alta da maternidade, ele também não pegava, mas dessa vez eu fui pesquisando na internet e comprei vários modelos que as pessoas me indicaram dizendo serem ótimos, dos mais baratos aos mais caros, inclusive tem uma chupeta da marca MAM que ele até ficava com ela alguns segundos na boca e depois cuspia.
Ele também sentou ânsia com alguns modelos de chupeta e outros ele apenas cuspia, mas se eu ficasse insistindo ele chorava.
Fui diminuindo Minha insistência aos poucos, oferecendo mais nas cólicas ou pra dormir e mesmo assim nada.
Hoje ele já está  com 6 meses, ainda tenho algumas guardadas mas agora já acredito que  está decidido que ele não irá pegar chupeta.
Por um lado é bom porque não vou ter todo aquele processo de tirar a chupeta quando eles crescem mais posso dizer que passei poucas e boas para acalma-Los sem a bendita chupeta.



Mas cada mãe e cada filho com seu jeitinho todo especial de ser...
Até a próxima: -)

Mala maternidade

Quando eu estava com 8 meses de gestação fomos conhecer a maternidade onde ganharia nosso bebe, hospital e maternidade Santa Joana no bairro Paraíso em SP capital.
Lá eles me entregaram uma lista onde estava descrito as coisas que eu deveria levar na mala do bebê e na mala da mamãe.
Estava descrito que para o bebe eu deveria levar 6 trocas de roupas completas e um chale ou cobertor dependendo da estação, itens de higiene não eram necessários pois a maternidade disponibilizava.
Para a mamãe deveria levar 3 camisolas ou pijamas e os itens de higiene pessoal.
Pois bem... segui a risca o que a maternidade havia solicitado, e é claro que exagerei um pouquinho.
Levei para o Meu bebe 6 trocas de roupas completas, ou seja, macacão,  body,  calca, meia , Luva e gorrinho.
Como estava calor mas já estávamos no outono optei por levar uma manta de lã e um xale de malha.
Levei uma toalha de banho e alguns produtos para ele mesmo a maternidade dizendo que não seria necessário.
Coloquei na mala fraldas de pano, a roupinha de saída maternidade,  o quadrinho da porta, lembrancinhas e a almofada de amamentação.
Para mim eu levei 3 trocas de roupa Para dormir é super confortáveis, toalha de banho, itens de higiene como sabonete, shampoo, escova e pasta de dente, escova de cabelo, etc... mesmo que a maternidade disponibilize é sempre bom estar com as suas coisinhas e seus cheirinhos por perto né.
Usei absorventes noturnos,  não vi a necessidade de comprar aqueles para pós parto.
Sutiã de amamentação, calcinhas de malha mais altas e confortáveis, não usei conta pós parto  ( falo sobre isso melhor no post sobre o meu pós parto).
E por último chinelos,  um de pano para o quarto e um de borracha.
É claro que não usei tudo o que levei mas achei importante levar tudo o que me deixasse segura, porque se precisasse estaria a mão .
Uma dica importante que não usei na primeira gestação mas usei na segunda e foi super útil foi separar as roupinhas do bebê em saquinhos próprios para isso e coloque etiquetas com o nome do bebê e o número da troca de roupa, assim facilitou ao papai e as enfermeiras na hora de trocarem o bebe.



Espero que este post seja útil a você que está nesse momento de ansiedade e preparação para conhecer seu grande amor.
Até a próxima: -)

Bolsa do bebê...

Bom... eu escolhi uma malinha maior para levar as coisas da maternidade porém escolhi uma bolsa mais prática e compacta para carregar no meu dia a dia.
Aqui vou dividir com vocês os principais itens, na Minha opinião.
Sempre levo fralda, a quantidade vai depender da quantidade de horas que ficaremos fora de casa, lenços umedecidos e pomada pra assadura.
Como essa bolsa também é da mamãe eu levo minhas coisinhas junto, como carteira, documentos, etc...
Levo também uma fralda grande e algumas fraldinhas de boca, troca de roupa sempre, também vai depender da quantidade de horas que passaremos fora e do clima que está  fazendo.
Alguns estados aqui no Brasil faz todas as estações no mesmo dia... então o ideal é levar pelo menos duas trocas uma mais fresquinha   e uma mais quentinha.
Babador, água, frutinhas vai depender da idade do seu bebe, hoje o meu está com 6 meses de idade.
Levo um cueiro se precisar forrar algum lugar para colocar ele ou proteger de um brisa leve, para ventos mais fortes o ideal é o cobertor ou manta.
Um guarda chuva portátil sempre, pois este tempo está imprevisível, e os brinquedos e mordedores.
Espero ter ajudado... até a próxima :-)

sábado, 15 de outubro de 2016

Pós parto...

Coisas que ninguém te conta sobre ter um bebê...
Não tenho a experiência do parto normal pois passei por duas cesáreas,  Mas pelo que ouvi as mamães dizem que após o parto estão exaustas, se sentindo fracas,  com dores por todo o corpo, inclusive na região íntima, mas que a recuperação é mais rápida.
Bom vou falar aqui das minhas experiências.
Cesárea é uma cirurgia de grande porte onde envolve a saúde física da mamãe e do bebê,  tive duas cesáreas necessárias e devidamente indicadas pelos médicos para salvar a vida dos meus filhos, mas não sou contra a cesárea sou a favor dela pois hoje em dia são poupadas vidas através desse procedimento.
Bom... no primeiro parto eu não sabia o que estava me esperando, era tudo novidade, a anestesia não doeu nada, o procedimento foi super tranquilo, após lei a hora de cirurgia fui Para a sala  de pós operatório onde vc aguardo até voltar completamente da anestesia e te levam para o quarto.
Dessa vez tive meu primeiro filho as 9:39 da manhã e só me deixaram levantar e sair da cama, tomar banho, no dia seguinte as 7 horas da manhã, fiquei assustada... mas enfim...
Retirar a sonda não é nada agradável, a retirada do curativo e dar de cara com aquele corte enorme também não é nada bom.
Levantar pela primeira vez após o parto é complicado, pernas trêmulas, senti fraqueza,  enjoo, quase não consegui tomar banho direito e as enfermeiras me ajudaram.
Só de estar cheirosa novamente e com um pijama confortável eu já me sentia uma nova mulher.
Todas essas sensações foram passando aos poucos.
Amamentar é complicado apoiando o bebê na barriga onde tem a incisão da cesárea o ideal é uma ótima almofada de amamentação.
Essa cesárea foi com pontos, então após 9 dias do parto fui ao consultório do meu médico para rerira-Los, esses primeiros dias foram complicados, sentia muito desconforto pra fazer tudo, mas depois que os pontos foram retirados tudo melhorou.
O incrível é que qualquer pessoa principalmente os homens; se passarem por uma cirurgia vão ficar deitados em uma cama recuperando, levantando somente pra ir ao banheiro, mas as mamães não,  além da dolorida recuperação vem Para casa com um lindo pacotinho nos braços totalmente dependente de seus cuidados.
No segundo parto a diferença foi que a anestesia doeu de mais, o corte foi colado então não fui retirar os pontos,  só retornei ao consultório com 20 dias Par a o médico verificar se estava tudo certinho.
Eu já sabia tudo que me esperava então levantei pela primeira vez com mais calma e mais confiante, os primeiros dias em casa foram mais tranquilos porém acho que dessa vez os pontos demoraram mais pra cicatrizar e a cicatriz não esta tão discreta como da primeira vez.
O pós parto também envolve hormônios e sentimentos, a mulher está carente, se sente fragilizada,  uma alegria imensa em ter seus filhos nos braços mas ao mesmo tempo aquela vontade de chorar, aquela insegurança de Saber se você irá dar conta de tudo o que vem pela frente, uma coragem de leoa pra cuidar do seu bebê mas ao mesmo tempo o corpo cansado do trabalho de parto ou da cirurgia  que passou.
Se você que está lendo essa postagem é mamãe ou está grávida saiba que não está sozinha , todas passamos por isso e posso te afirmar que vai passar, tudo passa e novas fases virão.
Mas se você é alguém da família dessa gravidinha ou nova mamãe, apoie ela em todos os momentos, menos críticas,  menos conselhos e sugestões, nesse momento não é a hora certa, agora  é o momento de abraçar e acolher .
Sou eternamente grata a Deus por ter gerado minhas duas riquezas e a minha mãe por ter cuidado de mim no pós parto, enquanto as visitas só tinham olhos para o bebê, minha mãe estava ali pra cuidar de mim, e hoje sinto na pele o amor que ela tem por mim.

Até a próxima...

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Motivação do blog ...

Fiz esse blog com a intenção de registrar aqui minhas experiências com o universo da maternidade sem me esquecer do meu lado mulher.
Dividir com vocês minhas experiências e aprendermos umas com as outras porque acredito que esta troca de informações é fundamental.
Não há métodos certos ou errados,  não existem mães perfeitas ou imperfeitas,  mas existe sim mulheres reais,  mães que erram tentando acertar, e sempre com o amor maior do mundo.
Quem teve parto cesárea é mãe, quem teve parto normal também, quem amamenta é mãe, quem não amamentou  também é mãe, quem gerou o filho no ventre é mãe, e quem gerou no coração também, quem trabalha fora ou quem cuida dos filhos em tempo integral é mãe, todas nós mesmo com nossas diferenças somos igualmente mães.
Menos críticas e mais compreensão por um mundo melhor.



:-)

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Mamadeira X copinho

Graças a Deus  estamos chegando aos 6 meses de amamentação exclusiva, e pensei muito, pesquisei sobre o assunto e me informei com a pediatra a decidimos oferecer ao Tiago o copinho de transição ao invés da mamadeira.
Como ele não pegou chupeta e está mamando exclusivamente no peito achei que não deveria oferecer o bico da mamadeira pra ele, uma mistura de medo dele largar o leite materno e ao mesmo tempo já me antecipo pensando como será para ele largar a mamadeira um dia mais pra frente.
Então escolhemos alguns copinhos, tanto com bico de silicone como com bicos mais duros para ele tomar sucos e água em dias muito quentes de verão, já que o leite materno tem a quantidade adequada de água pro bebe, vai de mãe pra mãe e de acordo com a pediatra oferecer ou não água.
Assim ele já treina a coordenação motora e a boquinha para que futuramente tome líquidos  sozinho no copo normal.
Essa é a minha opinião, lembrando que cada mãe faz o melhor para o seu filho de acordo com o que pensa e acredita,  sem julgamentos, mais compreensão no mundo da maternidade.



Até a proxima :-)


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Amamentação...

A amamentação é um assunto super delicado, não é tão fácil como parece é um sonho de muitas mamães, por isso resolvi contar minha experiência pra vcs.
Quando meu primeiro filho nasceu eu li várias matérias sobre amamentação, perguntei tudo ao meu médico e achei que estava preparada para amamentar meu filho, mas a 9 anos atrás a internet é esse mundo de mamães blogueiras não estava assim em alta.
Eu estava enganada... meu filho nasceu, la na maternidade as enfermeiras "ensinaram" meio sem paciência como era a amamentação, era meu primeiro filho, eu estava com uma mistura de sentimentos, insegurança, ansiedade, muito amor,  apaixonada por aquele novo ser, mas o pós parto trás sentimentos que ninguém te conta na gravidez.
E meu bebe Mateus era um recém nascido meio afobado e sem paciência, ele chorava com fome, eu oferecia o peito pra ele e ele sugava (mas meu leite demorou pra descer) e ele não tinha paciência e continuava a berrar, a médica nos orientou a dar um pouco de leite fórmula no copinho, mas para o meu desespero ele engasgou, Que sufoco.
E a pressão do marido não me ajudou em nada, ele dizia que o bebê estava passando fome, e que era perigoso engasgar de novo,  então juntando todos os sentimentos do pós parto mais essa pressão eu cedi e sei o leite fórmula na mamadeira.
Eu oferecia sempre meu peito primeiro, ele sugava bem pouco e em seguida eu dava a mamadeira, bastou alguns dias e o Mateus ja rejeitava meu peito, não queria mais pegar de jeito nenhum, chorava sem parar ate eu dar a mamadeira, era bem mais  fácil sugar,  saia mais leitinho e como as pessoas dizem por aí, era uma "feijoada" pra ele e não uma saladinha como o leite da mamãe kkkkk.
Já na gravidez do meus segundo filho Tiago, eu estava decida a amamentar, então pesquisei muito, estudei tudo sobre o assunto e perguntei todas as informações ao meu médico.
Pois bem... a teoria nunca é igual a prática né, então o bebe nasceu e começamos nossa jornada da amamentação.
Tive parto cesárea, ficamos 12 horas separados pois a maternidade estava lotada e não havia quarto disponível, então deram uma dose de leitinho pra ele no berçário, fiquei  imaginando que aconteceria a mesma coisa que o primeiro filho.
Quando fomos para o quarto e ele veio para os meis braços as enfermeiras foram muito gentis e atenciosas colocando ele para mamar e eu tentando aprender como fazia.
O Tiago me mostrava ser um bebe recém nascido super fominha e ele era persistente, procurava meu peito, pegava, sugava bastante,  ficava satisfeito com o colostro é dormia.
E eu fiquei mais calma pois as enfermeiras me tranquilizaram dizendo que o colostro é rico e sustenta sim o bebe até o leitinho descer.
Recebemos alta no sábado e no domingo meu leite desceu... que alegria !!!
Dar de mamar e ver a boquinha dele toda sujinha de leite.
Mas tem tudo são mãe de rosa né... eu achava q estava tudo certo,  bebe mamando, arrotando e meu leite produZindo bastante.
Mas em uma semana meus seios racharam... meu Deus... uma das maiores dores que senti na vida, eu amamentava mordendo um paninho pra aguentar tamanha dor.
Passei a pomada de lanolina, usei o bico de silicone em um dos seios que estava mais machucado, e fui pesquisar loucamente na internet como eu corrigia a pega do bebe, porque era exatamente isso q estava causando as fissuras em meu seio.





Pesquisei vídeos, fotos, relatos de outras mães, blogueiras e até amigas minhas.
Em 30 dias a amamentação começou a se tornar prazerosa pra mim também, meu seio cicatrizou, não doía mais e o bebê mamava bastante.
Optei por dar de mamar em livre demanda então não tenho com o relatar aqui quanto o Tiago mamava por dia ou de quantas em quantas horas, mas foi a melhor coisa que  eu fiz por Ele, porque agente não sabe quanto de leite está saindo ou quantos ml o bebe tomou naquela mamada e oferecer sempre q ele quiser faz toda diferença.
É claro que a mamãe sofre principalmente no começo pois a nossa rotina fica em função da amamentação tem dias que parece q não vamos conseguir fazer nada só ficar dando de mamar.
Porém seu filho será bebe apenas uma vez na vida, essa fase deliciosa vai passar e você terá a vida inteira pra fazer outras coisas.



O carrinho do bebê!!!

Escolhemos o carrinho com bebê conforto da marca Cosco travel.
Para nós está foi a melhor opção, custo X benefício.
É um carrinho relativamente barato, se vocês compararem os carrinhos de bebe que  estão na moda.
Porém gostei muito dele e tem atendido e muito minhas expectativas.
Ele é um carrinho que tem três posições de regulagem no acento, totalmente deitado, meio sentado e sentado.
Ele é leve, fácil montagem e abre e fecha com facilidade também.
Possui uma cestinha para carregar objetos da mamãe em baixo, uma capota que protege o bebe do sol e vento, e que também tem um bolso onde pode ser guardado algumas coisas mais a mão.
Duas rodinhas que se movem conforme a direção, e duas rodas fixas com freio, a alça pode ser virada , ou seja, vc pode transportar o bebe olhando para a rua ou pra você.
Escolhi o modelo que acompanha o bebe conforto, ideal para sair da maternidade, acoplar no automóvel e encaixa perfeitamente no carrinho.
Quando chegamos da maternidade eu usei a noite o carrinho na posição totalmente deitado pra ele dormir e de dia ficava no bebe conforto que garante segurança em qualquer lugar da casa.
Hoje com quase 6 meses de idade, meu bebe usa o carrinho para passeios, para tirar cochilos de dia e para comer sentadinhos com o suporte que veio com ele para alimentação.
Já o bebe conforto utilizamos no carro e em casa para ele ficar sentado brincando ou assistindo desenho.
Esse é um post que faz parte do desafio vida do bebê,  não é publicidade e sim uma descrição do meu carrinho escolhido para meu bebê.



Produtos para a hora do banho...

Meus produtos favoritos para a hora do banho do meu bebe são...

Escolhi uma banheira tradicional e não aquelas banheiras altas com trocador.






Quando tive o Mateus não existia essas esponjas para colocar no fundo da banheira para o bebe não escorregar, já com o Tiago ganhei de presente,  usei e super aprovei.
Os bebês  são tão escorregadios quando recém nascidos né... que medo de dar banho neles, e realmente está esponja foi de extrema importância, me senti mais segura.



Outro produto que  não pode faltar de jeito nenhum é o termômetro para banheira,  super importante pois ele é mais preciso na hora de medir a temperatura da banheira porque a agua pode estar mais quente ou mais gelada pra pessoas diferentes, aqui em casa mesmo, eu e o marido sempre discordávamos da temperatura da água kkkkk.



Quando o Tiago era recém nascido eu sei banho nele com o sábado jhonsons da cabeça aos pés próprio para bebês recém nascidos, é muito delicado e especial para a pele sensível do seu RN.



Depois passei a usar o sabonete  em barra Dove baby, cremoso, hidratantes na medida certa e um cheirinho irresistível.



Para os cabelinhos usos o shampoo da linha bebe natureza, ganhei de presente e me apaixonei pela linha.



Toalha bem gostosa, e que enxugue bem o bebe pós banho é super importante também.



Aqui estão minhas dicas pra vcs na hora do banho com seu bebe.
Até a próxima: -)

terça-feira, 27 de setembro de 2016

O soninho dos meus filhos...

Com o meu filho Mateus eu tive grande dificuldade em faze -lo dormir, principalmente a noite.
Não sei dizer precisamente o que aconteceu, se foi a inexperiência da primeira maternidade ou se foi o fato dele não mamar no peito, enfim...
Desde que ele chegou da maternidade ele acodava de 2 em 2 horas para mamar (mamadeira) porém Como oi diagnosticado com refluxo eu ficava com ele cerca de 30 minutos na posição em pé,  encostado no meu ombro, para que mesmo que ele arrotasse ele tinha que começar a digestão no meu colo, se não poderia vomitar.
E mesmo assim o berço dele tinha que ter uma certa inclinação, ele não podia ficar 100% deitado para não voltar o ácido do estômago.
E assim era nossa rotina tanto de dia quanto de madrugada, mesmo fazendo diferença entre o dia e a noite como deixar luzes acesas e o barlho normal da casa, ele nao espacava as horas de madrugada e assim foi mais ou menos até  os 4 meses.
Depois disse ele começou a mamar 2 vezes de madrugada mas quando acordava era muito difícil faze-lo voltar a dormir,  praticamente impossível, ele chorava, berrava e algumas vezes eu acabava cedendo e ele ficava acordado algumas horas  na madrugada para depois voltar a dormir.
Com 1 aninho ele começou a acordar apenas uma vez na madrugada para mamar mas tinha vezes que perdia o sono  e não queria voltar a dormir de jeito nenhum, só cedia quando estava caindo  (literalmente) de sono e quando o dia finalmente começava a amanhecer.
O Mateus foi dormir a noite toda á partir dos 3 anos de idade.
Já com o Tiago esta sendo diferente, ele mama leite materno.
Quando chegamos em casa ele acordava a cada 2 ou 3 horas para mamar e  dormia de novo, foi assim por 15 dias mais ou menos.
A amamentação não foi nada fácil, mais vou falar  sobre isso em um próximo post.
Após os primeiros 15 dias a amamentação passou a ser em livre demanda então não sei precisar aqui de quanto em quanto tempo ele mamava.
Porém ele ficava mais acordado e no peito de dia e a noite ele começou a espassar  mais as horas.
Por volta dos 2 meses ele começou a acordar apenas 1 ou 2 vezes para mamar e volta logo a dormir sem problema nenhum.
E assim está até hoje, ele está com 5 meses, dorme entre 21 e 22 hrs acorda uma vez para mamar por volta das 5 da madrugada e dorme mais um pouco até as 8 horas da manhã.
Mais para frente volto aqui para contar como anda o soninho dele.

sábado, 17 de setembro de 2016

Lenços umedecidos...

Hoje vim contar para vocês quais são meus lenços umedecidos favoritos.
Tanto com o Mateus quanto com o Tiago o meu prefeitos de todos é o Johnsons baby, ele não contém álcool, super macio, delicado, e pra mim foi o que vem molhadinho na medida certa, nem seco e nem encharcado , esse não deu alergia em nenhum dos dois.



Os lenços babysec da galinha pintadinha e o bebê natureza eu ganhei de presente durante a gestação do Tiago, usei e aprovei mas o melhor deles dois é o bebê natureza.



Por último tem o babywipes,  é fácil de encontrar em mercados grandes e o preço acessível, gostei bastante dele também porém vem um pouquinho encharcado.



Se você não se adptou a nenhum ou seu bebe tem alergias nada como o bom e velho algodão e água morna.



Sinceramente eu usei desde a maternidade os lenços da Johnsons bebe recém nascido e adorei, não tivemos nenhum problema.
Outra utilidade dos lencinhos para bebe é tirar a make da mamãe num dia corrido e cansativo,  quem nunca usou o lencinho do bebe não sabe o que é praticidade kkkkk #ficadica.
Até a próxima : -)

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Pomadas para assaduras...

Hoje estou escrevendo para falar mais sobre pomadas para assaduras.
Com o Mateus a minha preferida era a Hipoglós.
Porém ela é uma pomada bem consistente,  difícil de remover.
Como falei no post anterior, o Mateus teve alergia a algumas marcas de fraldas e a pediatra dele orientou usarmos a pomada Dermodex  (tratamento) e depois que ele melhorou continuei com a dermodex prevent.
No auge da assadura, quando estava vermelha e molhadinha eu usei a maisena (amido de milho) por indicação da minha mãe e ajudou muito na melhora da assadura, ela absorve a umidade e trabalha como cicatrizante natural, essa é minha super dica .
Claro que há necessidade de primeiramente achar a causa do problema, trocar a marca de fralda ou deixar o lenço umedecido de lado e usar o bom e velho algodão com água morna.
Já com o Tiago ganhei uma amostra grátis na maternidade da pomada Bepantol baby e adorei.
Ela tem uma textura cremosa e é bem mais fácil de remover, até o momento tem cumprido bem o papel de prevenir assaduras.
Bom... fica a dica e minhas opiniões de pomadas.
Até a próxima :-)

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Fraldas...

Com o Mateus eu usei fraldas das marcas Jhonsons e PomPom.
Eu gostei bastante dessas duas marcas, super macias, confortáveis e aguentaram bem os "xixis" rsrsrsrs.
Porém o Mateus sempre foi muito alérgico a fraldas e lenços umedecidos então usamos bem mais a marca Johnson por ser mais neutra e menos perfumada do que a PomPom.
Conforme ele foi crescendo enfrentamos várias assaduras, vou comentar as pomadas no próximo post.
Mas com ajudinha da queria Maisena (amido de milho) resolvemos o problema.



E a partir da fralda G ele começou a usar a marca Looney tunes, por incrível que  pareça as vezes o mais simples resolve o problema.



Já com o Tiago usei a Huggies primeiros 100 dias RN e apaixonei.
Uma fralda super macia, toque de algodao, imagino ser super confortável e nunca vazou,  nem xixi e nem o cocô molinho  do nosso recém nascido amamentado.



Após os 40 dias de vida ele passou a usar tamanho P, nesse momento começou nosso problema com vazamentos.
Dizem que meninos fazem mais "xixis" e como estava no inverno fazia mais ainda.
Tentei todas as marcas possíveis e imagináveis disponível no mercado.
Mas para mim as melhores são PomPom colo de mãe  (pacote roxo) ela aguenta mais de 12 horas, inclusive utilizado ela de madrugada e não preciso trocar ele e a nossa queridinha do momento e do dia a dia é a Pampers Premium Care, ganhamos um pacote através de uma campanha do site The insiders e me apaixonei pela marca,  super macia, fininha, parece que fica super confortável para a criança usar e aguentou vários "xixis" sem vazar e até mesmo aquela "cocos" bombas kkkkk





Bom.... aqui fica Minha experiência e dica de fraldas.
Até a próxima : -)

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Nascimento do Tiago !!!

Tudo estava ocorrendo super bem com a minha gravidez.
Eu e o Tiago estávamos com ótima saúde,  todos os exames do pré Natal em dia.
Apesar da troca de médicos no finalzinho da gestação estava tudo sob controle.
Eu estava sendo examinada pelo meu médico semana Sim, semana não e após as 36 semanas de gravidez teria consulta todo mês.
Porém no dia 20/04 eu acordei gripada,  a primeira gripe em toda gestação,  liguei para meu médico e ele me receitou paracetamol gotas para baixar a febre e tirar dor de corpo, fiz exatamente como ele havia receitado.
Minha mãe veio em minha casa cuidar de mim, fazer uma sopa e levar meu filho mais velho pra escola.
A tarde fui deitar um pouco e acabei tirando um cochilo, Quando acordei estava bem suada então levantei devagar e fui tomar um banho.
Minha roupa estava molhada e acreditei ser o efeito do paracetamol tirando a febre, porém quando sai do banho notei um pequeno sangramento.
Imediatamente liguei para minha mãe, e depois para o meu médico que me orientou ir para a maternidade para que eu e o bebe fôssemos avaliados.
Liguei pro meu marido que estava no serviço para que viesse me buscar e irmos para maternidade.
Meu pai e ele chegaram juntos, e saímos em direção ao hospital,  minha mãe até me aconselhou levar as malas no carro, mas eu teimosa disse que não havia necessidade, mal sabia o que me esperava...
Chegando na maternidade fomos muito bem atendidos e começaram os exames.
Fiz três cardiotocos  (exame para avaliar os ritmos cardíacos e movimentos do bebê), como estavam saindo alterados fui encaminhada para o ultrassom.
Após os resultados em mãos a médica plantonista me disse que eu tive um começo de descolamento na placenta e o líquido amniótico estava bem baixo e por esses fatores o bebê está entrando em sofrimento fetal, pois o descolamento da placenta deixa o bebê com menos oxigênio e alimentos e o baixo líquido é prejudicial.
Então ligou imediatamente pro Meu médico informando do ocorrido
Porém ela disse que como era véspera de feriado o hospital estava lotado, não haviam quartos disponíveis, nisso já  eram 23:56 hrs.
Meu médico solicitou a internação de emergência e disse que estava voltando imediatamente do litoral de SP para fAzer meu parto, estava com 37 semanas de gestação.
Providenciaram minha internação, papelada, autorização do convênio, assinatura do marido responsável por mim, roupas cirúrgicas, colocaram soro, medicamentos...
Só tive um momento em que passei uma mensagem pra minha mãe diZendo que o Tiago nasceria aquela madrugada e pedindo a oração da minha família.
Meu pai teve  que voltar para casa e buscar as malas minhas e do bebe, porque eu como teimosa não quis levar aff...
Eu estava em estado de choque, não queria conversar com ninguém, estava feliz em conhecer meu mais novo grande amor dentro de alguns instantes mas angustiada em saber que ele estava sofrendo ali dentro de mim, eu só pedia a Deus em pensamento que Ele nos desse saúde, a mim e ao meu filho para vencermos essa batalha juntos.
Meu médico chegou ao hospital antes mesmo do convênio autoriZar a internação  (como as coisas são complicadas aqui no Brasil ).
Assim que ele chegou fomos imediatamente para o centro cirúrgico.
FiZeram meu marido prometer que  não passaria mal pois parto de risco não dá para dar atenção a mais ninguém a não ser para a mamãe e o bebê.
Começou o procedimento, fui anestesiada porém dessa vez doeu de mais, eu já estava com algumas contrações devido ao descolamento da placenta e tensa devido a urgência do parto, por isso a dor, mas passou.
Durante a cirurgia tive queda de pressão arterial e queda da temperatura corporal, graças a equipe médica tudo ocorreu bem,  eles disseram que devido a gripe mais o procedimento cirúrgico,  meu organismo estava sendo muito agredido e reagiu  dessa forma,  eles só fazem cesárea com a mamãe doente em casos de urgência.
Exatamente as 2:07 horas da madrugada do dia 21/04/2016 o Tiago nasceu.
Um choro mais tímido do que o irmão dele, nasceu um pouco quente e recebeu nota 8/9 de apgar.
Pesando 2,630 kg e 46 cm.
Graças a Deus meu filho estava bem , pude beijar e chorar junto com ele tamanha Vitória que Deus havia nos dado.
Após este momento ele foi levado para os exames necessários inclusive um de sangue para verificar se estaca tudo bem e eu para a sala de pós parto para aguardar a volta da anestesia.
Se o parto cesárea de emergência não fosse realizado naquela madrugada eu poderia ter tido uma hemorragia e o Tiago poderia não ter suportado a situação.
Fomos nos ver após 12 horas do parto pois como a maternidade estava lotada ficamos aguardando um quarto a ser disponibilizado.
Mas tudo o que eu  sentia era imensa  gratidão a Deus por ter cuidado de cada detalhe.

Nascimento do Mateus...

A cesárea foi marcada para o dia 23/06/2007, um sábado as 9 horas da manhã.
Segundo meu médico era mais seguro agendar uma cesárea para 38 semanas do que aguardar entrar em trabalho de parto, o que poderia demorar até 42 semanas.
Pois o Mateus estava pequeno para a idade gestacional, placenta calcificada e eu tomei quase 2 meses  de medicação para segurar o parto.
Hoje já se passaram 9 anos, não sei se era mesmo indicação de cesárea ou conveniente para o médico, mas fui confiante no trabalho dele.
Aquela madrugada que antecipava o parto foi tensa para mim, não conseguia dormir nada, as contrações voltaram afinal eu estava a uma semana sem tomar medicação,  talvez o Mateus pudesse ter nascido de parto normal.
Internei as 7 horas da manhã e fui preparada pelas infermeiras para o parto.
Meu marido entrou para assistir ao parto e meu pai estava na recepção aguardando notícias.
Recebi a anestesia, sinceramente não senti muita dor Não, e começaram a cirurgia.
O Mateus nasceu exatamente as 9:39 da manhã, com um choro estridente, recebeu nota 9/9 de apgar, nasceu pesando 2,400 e 44 cm (graças as vitaminas e dieta super calórica).
Veio para os braços do papai, tiramos foto com ele e foi levado para o berçário onde tomaria banho e seria feito os primeiros exames.
Enquanto isso o meu médico terminou a cirurgia e fui para a sala de recuperação .
A anestesia pra mim demorou cerca de 3 horas para passar e fui levada para o quarto onde recebi meus filhos nos braços, e encontrei com minha família.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Breve relato da gestação do Tiago!!!

A primeira coisa que fiz após o resultado de positivo do exame foi procurar um médico para começar meu pré Natal.
Porém... eu não ia imaginar que o nosso plano de saúde, tínhamos a mais de 5 anos, estava falindo.
Ou seja, liguei para alguns médicos e ninguém estava mais atendendo meu plano de saude.
Fiquei muito tensa mas com esperança que as coisas se resolvessem.
Porém com 7 semanas de gravidez tive uma secreção rosada que depois ficou marrom, me assutei pois tinha uma cólica leve desde o atraso menstrual então corremos para o hospital de emergência que era o único que ainda atendia o nosso plano.
Lá estava lotado, uma cidade grande como SP e a situação do convênio,  porém fomos atendidos, feito todos os exames necessários, então a médica me receitou Buscopan pra cólica e Dactil OB para prevenir aborto, igualzinho o que havia acontecido na gravidez do Mateus.
Porém la não tinha como fazer ultrassom  naquele momento e saímos com uma guia para ultra de emergência, pagamos em uma clínica particular e fizemos, era de extrema importância ver se estava tudo bem.
Foi uma emoção enorme ouvir pela primeira vez os batimentos cardíacos do meu segundo grande amor, ver que ele está ali bem implantado e tudo certinho Graças a Deus.
Fiquei com o coração aliviado, segui tudo o que a médica havia falado, medicamentos, restrição de algumas atividades, boa alimentação.
Porém era difícil manter a calma estando sem plano de saude.
Não queria nem imaginar  a  possibilidade de ter bebe na rede pública ou pagar um absurdo no particular, afinal sempre tivemos convênio e em dia com nossas obrigações.
Nosso desespero terminou final de outubro quando a empresa na qual meu marido trabalha migrou para outro convênio onde cobriria toda carência... uffa... só consigo ver as mais de Deus em cada detalhe cuidando da gente.
Assim pude dar continuidade ao pré natal, tudo ocorreu perfeitamente bem comigo e com o bebe, uma gravidez tranquila, eu tinha as tais contrações de treinamento mas nem chegava perto do que senti na gravidez do Mateus.
Fui descobrir que estava grávida do meu segundo menino com 22 semanas de gestação, no ultra morfológico de 2° trimestre... foi uma ansiedade esperar mas uma alegria imensa.
Há havia começado o enxoval em tons neutros, e começamos a ganhar coisinhas na cor azul.
A tarefa de escolher o nome foi bem complicada, mais difícil do que o primeiro filho, e dessa vez quem decidiu o nome foi o irmão. Escolheu Tiago que significa suplantador  (aquele que luta e vence).
Mas eu não sentia confiança na médica que estava me acompanhando,  agente não se entendia,  Eu não concordava com muitas coisas que ela falava e principalmente a respeito do parto, pois ela disse que não faria meu parto e que eu deveria ter bebe com o plantonista.
Puxa vida... pagava caro o plano, passei por todo esse estresse no começo, não me sentia confortável em ter bebe assim.
Não estou aqui julgando as pessoas que tiveram bebe na rede pública ou com plantonista, só estou expondo minha opinião e meus sentimentos em relação ao que estava vivendo.
Mas graças  as amizades que cultivAmos na vida, uma amiga querida me indicou o obstetra dela, imediatamente liguei para ele e agendei uma consulta, já estava com 32 semanas e mesmo assim ele me recebeu.
Contei toda história com todos os exames do pré Natal em mãos e o cartão da gestante com todas as informações possíveis.
Ele me tranquilizou, disse que estaria no meu parto, claro que particular, mas com a confiança que ele me passou e a segurança de estar sendo bem atendida valia muito a pena.
E o relato do parto vem no próximo post...

Breve relato da minha gravidez do Mateus!!!

Depois que descobrimos a gravidez comecei o pré Natal.
Estávamos morando em SC e como ainda não conhecia os médicos da região fui em um indicado pela colega do trabalho.
Fiz todos os exames que ele pediu, vários de sangue, urina, e  um ultrassom de translucência  nucal.
Como eu descobri a gravidez por causa de uma dor nos rins, o médico me receitou Buscopan e Dactil OB para tomar em caso de cólicas e para prevenir um aborto.
Primeiramente tudo certo com os exames de sangue,  deveria tomar muita agua por conta dos cristais na urina e aguardanDo as 12 semanas para a ultra.
Fui fazer o ultrassom um pouco tensa pois como era a primeira gestação e é  um exame muito importante para detectar possível mal formação no bebe deixa qualquer mamãe de cabelo em pé.
Chegando lá tudo ocorreu super bem, as medidas estavam certas para a idade gestacional, só não esperava pela surpresa, a médica disse que tinha 80% de chance de ser um menino.
Não fazia a mínima ideia de que já dava para descobrir o sexo do bebe com apenas 12 semanas via ultrassom.
Mas sai de lá super feliz, fui caminhando de volta ao serviço e liguei para minha mãe para contar como tinha sido o exame e já falei que era quase certeza que estávamos á espera de um menino.
E assim seguimos tranquilo a gestação, começamos a comprar algumas coisinhas desde o começo e agora meu mundo era azul,  mesmo ainda não tendo 100% de certeza eu estava apaixonada pelo mundo dos meninos.
Fiz o ultrassom de 2° trimestre, foi confirmada a gestação de um menino, super saudável, feita todas as medições que são realizadas no ultrassom morfológico.
E depois da confirmação decidimos então o nome do nosso bebe... Mateus que significa presente de Deus.
Após o 6° mês de gravidez comecei a sentir umas contrações e meu médico disse que  se tratava de contrações de treinamento porém que qualquer coisa de anormal, como dores , eu deveria procura-lo imediatamente e assim foi durante um mês.
Mas quando completei exatamente 28 semanas, naquele dia o bebê estava muito agitado dentro de mim e as contrações estavam um pouquinho doloridas, quando a barriga ficava endurecida dava um desconforto no pé da barriga como se fosse uma cólica leve, liguei pro meu médico e fui ate o hospital onde ele estava de plantão.
Lá ele disse que  o bebê tinha virado de cabeça pra baixo e meu organismo estava tendo contrações de treinamento um pouco além da conta.
Então para prevenir tomei injeções de corticoide afim de fortalecer e amadurecer os pulmões dele é um medicamento que agora não me lembro o nome, para não entrar em trabalho de parto prematuro.
Fiquei super assustada, sabia que estava sendo bem assistida pela meu médico, tinha plena confiança  no trabalho dele, porém estávamos diante de um possível parto antecipado.
Corremos para terminar tudo, como o quartinho dele, enxoval e malas de maternidade para estarmos prontos se qualquer coisa acontece.
Não podia pegar peso, nem fazer caminhadas longas,  não fiquei de repouso porém tinha restrições de várias atividades.
Minha família sempre esteve ao meu lado e meu ajudou em cada detalhe .
As semanas foram se passando, com consultas mais próximas, sempre ouvindo o coração do bebe e exame de toque pra verificar o colo do útero.
Com 36 semanas fiz o último ultrassom, tudo certo com o bebe, virado de cabeça para baixo mas não encaixado, tudo normal com o bebe porém ele estava pequeno para a idade gestacional , minha placenta em grau 3 (madura) e o médico do ultrassom disse que tinha risco de calcificação  (não sei o que isso significa) ele me o instruiu a procurar meu médico para verificar o que seria feito, pois segundo ele o bebê não estava mais crescendo dentro do útero.
Liguei pro meu médico,  ele estava lá no RJ e mesmo a distancia marcou a cesárea para a semana que eu completava 38 semanas de gestação.
E o relato do parto fica para o próximo post...

sábado, 10 de setembro de 2016

A descoberta da gravidez (2º filho) ...

Esta semana, mais precisamente dia 08/09/2016, fez exatamente 01 ano que fiz o teste de gravidez (beta HCG) confirmando que estava a espera do meu segundo filho.
Como o tempo passa rápido de mais, hoje ele já esta com 4 meses e meio, gordinho, cheio de saúde, e não imaginamos mais nossa família sem ele.
Bom... me lembro que há  um ano atrás aguardei minha menstruação atrasar mais de uma semana para depois fazer o teste e como tem um laboratório na rua da minha casa então preferi fazer logo o exame de sangue, do que fazer aqueles testes de farmácia, não que não sejam seguros, mas... queria ter absoluta certeza do que estava acontecendo.
Fui fazer o exame acompanhada da minha irmã , e o resultado sairia no mesmo dia por volta das 17 horas e poderíamos retirar pela internet sem a necessidade de retornar ao laboratório.
Era um dia chuvoso e geladinho, nunca vou me esquecer do misto de medo e ansiedade que estava sentindo naquele dia.
O desejo de ter o segundo filho já estava em nosso coração mas não estávamos completamente decididos e nem planejando.
E para piorar a situação a energia acabou por volta das 16 horas, desci 11 andares de escada para biscar meu filho mais velho no colégio, e depois subimos os 11 andares novamente, uffa.
Quando acabava a energia era normal ficarmos algumas horinhas sem, mas depois ela voltava ao normal, mas dessa vez foi diferente, ela só voltou ao meio dia do dia seguinte.
Ficamos sem internet, sem telefone, fiz janta no escuro, e fiz um "acampamento" com meu filho na sala (ele não gosta de escuro), mas foi um momento divertido entre mãe e filho, porém não preguei o olho aquela noite, tamanha era minha ansiedade afinal não pude pegar o resultado do exame.
Depois que a energia voltou, fomos colocando as coisas em ordem aos poucos, mas a ansiedade me consumia, não conseguia comer direito, fiquei muito agitada, e eu estava meio resfriada, mas não queria tomar nenhum medicamento antes de receber o resultado do exame, então fiquei a base de chá de limão e mel.
Apesar do atraso de 8 dias exatamente, eu tinhas sintomas típicos de TPM, tipo: dor de cabeça, sensibilidade nos seios, barriga inchada e irritabilidade.
Fui fazer o exame mesmo pelo atraso porque não era normal todos aqueles dias em meu ciclo.
Pedi para minha irmã imprimir o exame e deixar com a minha mãe, que quando eu fosse levar meu filho ao colégio eu passava lá para buscar. Faltava coragem de entrar no site, aguardar a página carregar e descobrir o resultado.
Fui na casa da minha mãe, e ela me recebeu com os olhos marejados, já sabia que ali estava meu positivo, peguei o exame e li aquele numero grande confirmando que eu estava novamente grávida, bem que estes exames poderiam ser mais objetivos informando positivo ou negativo, mas aparece estes números que muitas vezes deixam algumas mamães confusas, mas não tinha como duvidar daquele numero.
Agora era dar a noticia ao meu marido e filho a noite, ele seria promovido então a irmão mais velho, e dar inicio ao pré-natal.
Não divulgamos imediatamente para toda família e amigos pois preferimos aguardar as 12 primeiras semanas, por precaução.
Assim começava então nossa jornada rumo ao segundo filho !!!

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

A descoberta da gravidez (1° filho) ...

Um belo dia eu comecei a sentir umas dores chatinhas perto da região dos rins,  nos dois ao mesmo tempo, uma dorzinha nas costas e uma cólica bem fraca porém  chatinha e persistente.
Porém eu ainda não estava com a menstruação atrasada e estávamos morando em uma outra Cidade, então ainda não conhecia muito bem os médicos, hospitais e laboratórios.
Liguei na Central de atendimento do meu plano de saude na época, e agendei uma consulta com clínico geral.
Ele mandou fazer alguns exames a fim de verificar o que estava acontecendo.
Agendamos um ultrassom dos rins e da bexiga, exame de urina e exames de sangue incluindo o beta Hcg pois segundo o médico disse, teria que investigar a gravidez também,  apesar de não ser os sintomas clássicos. Ele pediu ultrassom e não raio X justamente porque já suspeitava de uma possível gravidez.
Em uma segunda feira a tarde, fui sozinha no exame de ultrassom dos rins, o médico muito atencioso realizou o exame e no final me disse que estava tudo certo com meus rins e não tinha nenhuma pedra porém eu deveria procurar um ginecologista com urgência pois havia algo em meu útero,  ele não poderia afirmar pois não era a área dele mas tinha absoluta certeza de que se tratava de um bebê.
Meus olhos se encheram de lágrimas, agradeci  o atendimento,  mas eu faria o exame de sangue só no dia seguinte.
Quando voltei pra casa só contei o ocorrido pra mim mãe.
No dia seguinte logo de manhã, e de jejum, fui fazer os exames de sangue e urina e na quarta feira peguei todos os resultados, inclusive as imagens do ultrassom.
No exame de sangue tudo normal, no exame de urina constou uns cristais e no beta Hcg um positivo enorme.
Nas imagens do ultrassom já aparecia a primeira fotinho do meu baby implantado em meu útero.
A primeira coisa que fiz foi agendar um ginecologista para começar o pré Natal e depois contei para minha família.
Esperei até 12 semana para divulgar no meu trabalho e para os amigos.
Agora estava começando minha família de fato, deixamos de ser apenas casal para ter nossa família...