Pular para o conteúdo principal

Nascimento do Tiago !!!

Tudo estava ocorrendo super bem com a minha gravidez.
Eu e o Tiago estávamos com ótima saúde,  todos os exames do pré Natal em dia.
Apesar da troca de médicos no finalzinho da gestação estava tudo sob controle.
Eu estava sendo examinada pelo meu médico semana Sim, semana não e após as 36 semanas de gravidez teria consulta todo mês.
Porém no dia 20/04 eu acordei gripada,  a primeira gripe em toda gestação,  liguei para meu médico e ele me receitou paracetamol gotas para baixar a febre e tirar dor de corpo, fiz exatamente como ele havia receitado.
Minha mãe veio em minha casa cuidar de mim, fazer uma sopa e levar meu filho mais velho pra escola.
A tarde fui deitar um pouco e acabei tirando um cochilo, Quando acordei estava bem suada então levantei devagar e fui tomar um banho.
Minha roupa estava molhada e acreditei ser o efeito do paracetamol tirando a febre, porém quando sai do banho notei um pequeno sangramento.
Imediatamente liguei para minha mãe, e depois para o meu médico que me orientou ir para a maternidade para que eu e o bebe fôssemos avaliados.
Liguei pro meu marido que estava no serviço para que viesse me buscar e irmos para maternidade.
Meu pai e ele chegaram juntos, e saímos em direção ao hospital,  minha mãe até me aconselhou levar as malas no carro, mas eu teimosa disse que não havia necessidade, mal sabia o que me esperava...
Chegando na maternidade fomos muito bem atendidos e começaram os exames.
Fiz três cardiotocos  (exame para avaliar os ritmos cardíacos e movimentos do bebê), como estavam saindo alterados fui encaminhada para o ultrassom.
Após os resultados em mãos a médica plantonista me disse que eu tive um começo de descolamento na placenta e o líquido amniótico estava bem baixo e por esses fatores o bebê está entrando em sofrimento fetal, pois o descolamento da placenta deixa o bebê com menos oxigênio e alimentos e o baixo líquido é prejudicial.
Então ligou imediatamente pro Meu médico informando do ocorrido
Porém ela disse que como era véspera de feriado o hospital estava lotado, não haviam quartos disponíveis, nisso já  eram 23:56 hrs.
Meu médico solicitou a internação de emergência e disse que estava voltando imediatamente do litoral de SP para fAzer meu parto, estava com 37 semanas de gestação.
Providenciaram minha internação, papelada, autorização do convênio, assinatura do marido responsável por mim, roupas cirúrgicas, colocaram soro, medicamentos...
Só tive um momento em que passei uma mensagem pra minha mãe diZendo que o Tiago nasceria aquela madrugada e pedindo a oração da minha família.
Meu pai teve  que voltar para casa e buscar as malas minhas e do bebe, porque eu como teimosa não quis levar aff...
Eu estava em estado de choque, não queria conversar com ninguém, estava feliz em conhecer meu mais novo grande amor dentro de alguns instantes mas angustiada em saber que ele estava sofrendo ali dentro de mim, eu só pedia a Deus em pensamento que Ele nos desse saúde, a mim e ao meu filho para vencermos essa batalha juntos.
Meu médico chegou ao hospital antes mesmo do convênio autoriZar a internação  (como as coisas são complicadas aqui no Brasil ).
Assim que ele chegou fomos imediatamente para o centro cirúrgico.
FiZeram meu marido prometer que  não passaria mal pois parto de risco não dá para dar atenção a mais ninguém a não ser para a mamãe e o bebê.
Começou o procedimento, fui anestesiada porém dessa vez doeu de mais, eu já estava com algumas contrações devido ao descolamento da placenta e tensa devido a urgência do parto, por isso a dor, mas passou.
Durante a cirurgia tive queda de pressão arterial e queda da temperatura corporal, graças a equipe médica tudo ocorreu bem,  eles disseram que devido a gripe mais o procedimento cirúrgico,  meu organismo estava sendo muito agredido e reagiu  dessa forma,  eles só fazem cesárea com a mamãe doente em casos de urgência.
Exatamente as 2:07 horas da madrugada do dia 21/04/2016 o Tiago nasceu.
Um choro mais tímido do que o irmão dele, nasceu um pouco quente e recebeu nota 8/9 de apgar.
Pesando 2,630 kg e 46 cm.
Graças a Deus meu filho estava bem , pude beijar e chorar junto com ele tamanha Vitória que Deus havia nos dado.
Após este momento ele foi levado para os exames necessários inclusive um de sangue para verificar se estaca tudo bem e eu para a sala de pós parto para aguardar a volta da anestesia.
Se o parto cesárea de emergência não fosse realizado naquela madrugada eu poderia ter tido uma hemorragia e o Tiago poderia não ter suportado a situação.
Fomos nos ver após 12 horas do parto pois como a maternidade estava lotada ficamos aguardando um quarto a ser disponibilizado.
Mas tudo o que eu  sentia era imensa  gratidão a Deus por ter cuidado de cada detalhe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diálogo com filhos

Cada idade requer uma conversa apropriada, o modo de conversar vai depender muito da faixa etária em que seu filho está.

Por esse motivo eu costumo dizer que: Devemos ser uma mãe (ou pai) para cada filho. Não é tratar de maneiras diferentes, mas como os filhos são indivíduos com suas características e personalidade, devemos trata-los cada qual individualmente.

Aqui em casa, por exemplo, somos pais de dois meninos, um de 10 anos e outro de 1 ano e meio.

A diferença de idade entre eles é grande, e os pais que são pessoas adultas e maduras devem olhar como cada filho se sente em relação a isso. Por exemplo, o filho de 10 anos gostaria de ser tratado como um pré adolescente, gostaria que fosse lhe dado mais responsabilidades no dia a dia, mas sem  esquecermos que ele pode ter momentos de ciúmes do mais novo ou como um pré adolescente as vezes ele quer ser adulto demais, outras vezes ainda quer ser criança.

Já o filho de 1 ano e meio será tratado como um "bebe grande", que dá seu…

Tempo de jogar fora ou consertar ???

Hoje em dia estamos vivendo em tempos modernos, onde a moda agora é jogar fora aquilo que está quebrado ou não tem mais utilidade e comprarmos algo novo.

     Não estamos apenas falando de coisas ou objetos mas isso também serve para relacionamentos.

   Antigamente quando levávamos algo quebrado aos nossos pais e avós eles nos ensinavam a consertar, claro que isso leva tempo e disposição, pois não havia essa facilidade toda que temos hoje em adquirir coisas novas.

     Nos tempos de hoje, coisas e objetos estão banalizados, está muito fácil jogar fora do que doar um tempo consertando aquilo.

     Assim vemos que nossos filhos estão crescendo em um mundo onde não dão mais o valor devido as coisas e as pessoas, essa nova geração não está disposta ou muitas vezes nem aprendeu a consertar algo que quebrou ou reconstruir aquilo que um dia existiu.

    Falando em bens materiais, se hoje um brinquedo se quebra, os pais irão em uma loja adquirir outro para seu filho, já se esqueceram como…

Dizer não... Também é amar !!!

Quando nasce um bebê, um sentimento tão lindo e grandioso nasce em nossos corações. Um amor incondicional invade a vida das novas mamães e papais.

Quando bebês, eles são frágeis e totalmente dependente dos adultos responsáveis por eles, a medida que vão crescendo eles aprendem e adquirem habilidades novas, como sorrir, sentar, dialogar com os pais (mesmo que na linguagem deles), engatinhar ... e por aí vai, eles aprendem uma infinidade de coisas ao longo da vida.

Mas não se engane, esses pequenos vão crescendo e junto com isso vem uma capacidade que eles desenvolvem em testar os limites dos pais, não por maldade ou mal criação, mas pelo desenvolvimento natural do ser humano.

Nós não nascemos já sabendo o que é certo ou o que é errado, não sabemos nada ainda sobre regras, deveres e direitos, mas vamos descobrindo isso ao londo do nosso crescimento.

É importante estar ciente disso para nos prepararmos quando esta fase chegar, bebes são fofos porem crescem e é necessário impor limites.