Pular para o conteúdo principal

Pós parto...

Coisas que ninguém te conta sobre ter um bebê...
Não tenho a experiência do parto normal pois passei por duas cesáreas,  Mas pelo que ouvi as mamães dizem que após o parto estão exaustas, se sentindo fracas,  com dores por todo o corpo, inclusive na região íntima, mas que a recuperação é mais rápida.
Bom vou falar aqui das minhas experiências.
Cesárea é uma cirurgia de grande porte onde envolve a saúde física da mamãe e do bebê,  tive duas cesáreas necessárias e devidamente indicadas pelos médicos para salvar a vida dos meus filhos, mas não sou contra a cesárea sou a favor dela pois hoje em dia são poupadas vidas através desse procedimento.
Bom... no primeiro parto eu não sabia o que estava me esperando, era tudo novidade, a anestesia não doeu nada, o procedimento foi super tranquilo, após lei a hora de cirurgia fui Para a sala  de pós operatório onde vc aguardo até voltar completamente da anestesia e te levam para o quarto.
Dessa vez tive meu primeiro filho as 9:39 da manhã e só me deixaram levantar e sair da cama, tomar banho, no dia seguinte as 7 horas da manhã, fiquei assustada... mas enfim...
Retirar a sonda não é nada agradável, a retirada do curativo e dar de cara com aquele corte enorme também não é nada bom.
Levantar pela primeira vez após o parto é complicado, pernas trêmulas, senti fraqueza,  enjoo, quase não consegui tomar banho direito e as enfermeiras me ajudaram.
Só de estar cheirosa novamente e com um pijama confortável eu já me sentia uma nova mulher.
Todas essas sensações foram passando aos poucos.
Amamentar é complicado apoiando o bebê na barriga onde tem a incisão da cesárea o ideal é uma ótima almofada de amamentação.
Essa cesárea foi com pontos, então após 9 dias do parto fui ao consultório do meu médico para rerira-Los, esses primeiros dias foram complicados, sentia muito desconforto pra fazer tudo, mas depois que os pontos foram retirados tudo melhorou.
O incrível é que qualquer pessoa principalmente os homens; se passarem por uma cirurgia vão ficar deitados em uma cama recuperando, levantando somente pra ir ao banheiro, mas as mamães não,  além da dolorida recuperação vem Para casa com um lindo pacotinho nos braços totalmente dependente de seus cuidados.
No segundo parto a diferença foi que a anestesia doeu de mais, o corte foi colado então não fui retirar os pontos,  só retornei ao consultório com 20 dias Par a o médico verificar se estava tudo certinho.
Eu já sabia tudo que me esperava então levantei pela primeira vez com mais calma e mais confiante, os primeiros dias em casa foram mais tranquilos porém acho que dessa vez os pontos demoraram mais pra cicatrizar e a cicatriz não esta tão discreta como da primeira vez.
O pós parto também envolve hormônios e sentimentos, a mulher está carente, se sente fragilizada,  uma alegria imensa em ter seus filhos nos braços mas ao mesmo tempo aquela vontade de chorar, aquela insegurança de Saber se você irá dar conta de tudo o que vem pela frente, uma coragem de leoa pra cuidar do seu bebê mas ao mesmo tempo o corpo cansado do trabalho de parto ou da cirurgia  que passou.
Se você que está lendo essa postagem é mamãe ou está grávida saiba que não está sozinha , todas passamos por isso e posso te afirmar que vai passar, tudo passa e novas fases virão.
Mas se você é alguém da família dessa gravidinha ou nova mamãe, apoie ela em todos os momentos, menos críticas,  menos conselhos e sugestões, nesse momento não é a hora certa, agora  é o momento de abraçar e acolher .
Sou eternamente grata a Deus por ter gerado minhas duas riquezas e a minha mãe por ter cuidado de mim no pós parto, enquanto as visitas só tinham olhos para o bebê, minha mãe estava ali pra cuidar de mim, e hoje sinto na pele o amor que ela tem por mim.

Até a próxima...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diálogo com filhos

Cada idade requer uma conversa apropriada, o modo de conversar vai depender muito da faixa etária em que seu filho está.

Por esse motivo eu costumo dizer que: Devemos ser uma mãe (ou pai) para cada filho. Não é tratar de maneiras diferentes, mas como os filhos são indivíduos com suas características e personalidade, devemos trata-los cada qual individualmente.

Aqui em casa, por exemplo, somos pais de dois meninos, um de 10 anos e outro de 1 ano e meio.

A diferença de idade entre eles é grande, e os pais que são pessoas adultas e maduras devem olhar como cada filho se sente em relação a isso. Por exemplo, o filho de 10 anos gostaria de ser tratado como um pré adolescente, gostaria que fosse lhe dado mais responsabilidades no dia a dia, mas sem  esquecermos que ele pode ter momentos de ciúmes do mais novo ou como um pré adolescente as vezes ele quer ser adulto demais, outras vezes ainda quer ser criança.

Já o filho de 1 ano e meio será tratado como um "bebe grande", que dá seu…

Tempo de jogar fora ou consertar ???

Hoje em dia estamos vivendo em tempos modernos, onde a moda agora é jogar fora aquilo que está quebrado ou não tem mais utilidade e comprarmos algo novo.

     Não estamos apenas falando de coisas ou objetos mas isso também serve para relacionamentos.

   Antigamente quando levávamos algo quebrado aos nossos pais e avós eles nos ensinavam a consertar, claro que isso leva tempo e disposição, pois não havia essa facilidade toda que temos hoje em adquirir coisas novas.

     Nos tempos de hoje, coisas e objetos estão banalizados, está muito fácil jogar fora do que doar um tempo consertando aquilo.

     Assim vemos que nossos filhos estão crescendo em um mundo onde não dão mais o valor devido as coisas e as pessoas, essa nova geração não está disposta ou muitas vezes nem aprendeu a consertar algo que quebrou ou reconstruir aquilo que um dia existiu.

    Falando em bens materiais, se hoje um brinquedo se quebra, os pais irão em uma loja adquirir outro para seu filho, já se esqueceram como…

Dizer não... Também é amar !!!

Quando nasce um bebê, um sentimento tão lindo e grandioso nasce em nossos corações. Um amor incondicional invade a vida das novas mamães e papais.

Quando bebês, eles são frágeis e totalmente dependente dos adultos responsáveis por eles, a medida que vão crescendo eles aprendem e adquirem habilidades novas, como sorrir, sentar, dialogar com os pais (mesmo que na linguagem deles), engatinhar ... e por aí vai, eles aprendem uma infinidade de coisas ao longo da vida.

Mas não se engane, esses pequenos vão crescendo e junto com isso vem uma capacidade que eles desenvolvem em testar os limites dos pais, não por maldade ou mal criação, mas pelo desenvolvimento natural do ser humano.

Nós não nascemos já sabendo o que é certo ou o que é errado, não sabemos nada ainda sobre regras, deveres e direitos, mas vamos descobrindo isso ao londo do nosso crescimento.

É importante estar ciente disso para nos prepararmos quando esta fase chegar, bebes são fofos porem crescem e é necessário impor limites.